Paraná confirma quarto caso da variante delta do coronavírus, diz Sesa; paciente morreu


A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) confirmou, na tarde desta quarta-feira (7), o quarto caso da variante delta do coronavírus no Paraná.

Trata-se de um homem de 58 anos, de Apucarana, no norte do estado. Assim como os três casos anteriores, ele faz parte do mesmo núcleo familiar que vem sendo investigado no município.

De acordo com o município, o homem teve sintomas em 19 de abril, positivou para Covid-19 no dia 26 do mesmo mês, foi internado em uma enfermaria, transferido para Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e morreu em 14 de maio.
A Sesa informou que ele era filho da mulher que é o primeiro caso positivo da variante no Paraná, divulgado no início de junho.

A cepa foi confirmada por sequenciamento genômico do vírus SARS-CoV-2 realizado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro.

Segundo a Sesa, ainda não há transmissão comunitária por se tratar de contato próximo ao primeiro caso, sendo considerado pela vigilância epidemiológica caso de transmissão local.

Até agora, todos os casos identificados da variante foram registrados em Apucarana. Uma grávida de 42 anos morreu, em abril, com diagnóstico da cepa, se tornando a primeira vítima, no Brasil. Ela tinha viajado para o Japão. O bebê sobreviveu.

A filha do casal diagnosticado com a variante confirmou que visitou a grávida, em abril. A mulher fez um teste de Covid-19 de farmácia, o qual não é possível realizar o sequenciamento genômico para identificar a variante.

O terceiro caso confirmado da cepa foi divulgado na manhã desta quarta-feira. Segundo a secretaria, o homem é casado com a mulher que teve o primeiro diagnóstico da variante no estado. O homem, de 74 anos, foi internado, mas teve alta hospitalar no dia 20 de maio e está sendo acompanhado clinicamente.

Investigação

Desde o início da pandemia, o Paraná registrou a presença de pelo menos 24 variantes do novo coronavírus. As cepas gama e zeta, que foram identificada em Manaus e no Rio de Janeiro, são as mais comuns no estado.

A secretaria afirmou que, a partir do primeiro caso, o Laboratório Central do Paraná (Lacen-PR) selecionou 234 amostras da região para sequenciamento genômico, todos relacionados à mulher do primeiro caso.

Destas, 115 têm resultado, com esses outros três casos confirmados. 119 continuam em investigação.

A cada 15 dias, o Lacen-PR envia amostras de testes do tipo RT-PCR para sequenciamento genômico na Fiocruz e Fundação Ezequiel Dias. 

A seleção é feita de forma aleatória e cumpre critérios técnicos e epidemiológicos, ou seja, refletem um recorte do cenário epidemiológico do momento e servem de base para pesquisa e informação.

Fonte: G1 PR

Site Portal Alto Paraíso PR

, ,