Prefeito afastado de Cruzeiro do Oeste tem pedido de retorno ao cargo negado


Após ser afastado do cargo, no último dia 14 de junho, o prefeito Beto Sobrinho impetrou um mandado de segurança alegando irregularidades na votação feita pela Câmara de Vereadores.

Ao receber a petição de mandado de segurança, a juíza Daniele Liberatti Santos Takeuchi determinou que a Câmara Municipal se manifestasse em 72 horas, e o Ministério Público em 24 horas.

Nesta quarta-feira (27), a Câmara Municipal informou em seu site, que assim que notificada, a assessoria jurídica se manifestou, e no prazo devido protocolou sua defesa requerendo a não concessão da liminar, por entender que os atos praticados pelo Legislativo seguiram todos os ritos e procedimentos legais.

O Ministério Público por meio do promotor de justiça Wilson Tomé Tropiani, no prazo legal, manifestou-se pelo indeferimento do pedido liminar postulado pelo prefeito afasto.

Em decisão a juíza indeferiu o pedido de liminar, determinando o prosseguimento dos demais atos processuais. Sendo assim, Beto continua afastado até que as investigações sejam concluídas.

Fonte:Câmara Municipal de Cruzeiro do Oeste

Site Portal Alto Paraíso PR