Laudo do IML confirma que bebê de 1 ano foi estruprada em Icaraíma


O laudo do Instituto Médico Legal (IML) de Umuarama confirmou na tarde de ontem que uma menina de apenas um ano sofreu abuso sexual. A criança morreu durante a madrugada. Ela estava internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Cemil desde domingo, por conta de uma broncopneumonia. A denúncia de abuso foi formalizada na delegacia por uma enfermeira e uma assistente social da Casa de Saúde na manhã de ontem após notarem fissuras na vagina e no ânus da menina.

Segundo o delegado-chefe da 7ª SDP, Osnildo Carneiro Lemes, o médico legista coletou uma quantidade considerável de sêmen no bebê, confirmando que a violência ocorreu no máximo no último sábado.

“O exame do IML confirma que a criança foi abusada sexualmente, mas a causa da morte foi outra. Ela morreu porque engasgou com o próprio vômito”, explicou. Segundo o delegado, a criança já estava com a saúde debilitada e morreu em decorrência do engasgamento.

Segundo a polícia, nos últimos 30 dias a criança passou por uma série de internamentos em hospitais de Umuarama. Segundo Lemes, um inquérito foi instaurado para apurar onde e quem cometeu a violência contra a menina. A investigação será conduzida pela delegacia de Icaraíma, onde a família reside.
Os pais da criança chegaram a ser detidos no início da tarde de ontem, quando aguardavam a liberação do corpo da criança no IML. Eles foram ouvidos e liberados no fim da tarde. Segundo o delegado, o pai, de 58 anos, possui um alibi. “Ele afirmou que passou a maior parte de sábado na igreja. Confirmamos a versão e ela bate. Já a mãe apresentou quatro versões diferentes para a violência”, explicou.

De acordo com o delegado, a mulher tem distúrbios psicológicos e já fez uso de medicação.

Segundo a mulher, de 31 anos, o pai da menina teria cometido a violência em sua presença. “Eu vi ele fazendo, mas como ele me ameaçava não fiz nada”, afirmou ontem durante entrevista. Na sequência, a versão mudou e a mulher disse que o estupro poderia ter ocorrido em uma festa de chá de panela que participou no sábado. O delegado acredita que a mãe saiba quem cometeu o abuso.

Já o pai nega que tenha abusado da filha. Ontem mesmo foi coletado amostras de sangue dele para comparar com o esperma encontrado no corpo da criança. “Eu tenho certeza de que não vai dar nada. Não fiz isso”, afirmou durante entrevista.

O velório da bebê acontece em Icaraíma, onde a família reside. O enterro acontece hoje.

Fonte: Umuarama Ilustrado

Site Portal Alto Paraíso PR