Governo apresenta proposta para o fim das greves


Governo do Estado entregou nesta quinta-feira (20) uma proposta aos sindicatos dos servidores estaduais para colocar fim aos movimentos grevistas no serviço público. Em reunião no Palácio Iguaçu, foi apresentado um termo do acordo propondo a retirada do artigo 33 da mensagem 43, enviada para a Assembleia Legislativa no final de setembro. 

O item 33 trata da suspensão da data-base do funcionalismo e faz parte de um projeto mais amplo, que altera algumas condições da Lei de Diretrizes Orçamentária (LDO) de 2017 para que o Estado possa enfrentar as dificuldades impostas pela crise econômica nacional. 

O chefe da Casa Civil Valdir Rossoni apresentou a proposta e explicou que as condições do acordo são uma decisão do conjunto do governo. “A retirada do texto está condicionada ao encerramento das paralisações e o que está no documento é irretocável. Não podemos avançar nem mais um centímetro”, afirmou. 

PRAZO 

O chefe da Casa Civil estabeleceu um prazo até segundafeira para que os sindicatos se manifestem sobre a proposta e pediu que as atividades paralisadas sejam retomadas o quanto antes. “Havendo o aceite, encaminhamos imediatamente o pedido de retirada do texto para a Assembleia e iniciamos as novas negociações com os servidores”, afirmou. 

AVANÇOS 

A proposta orçamentária enviada pelo governo ao legislativo estabelece o pagamento de promoções e progressões de carreira aos servidores a partir de janeiro. O valor chega a R$ 1,4 bilhão. Após quitar esta dívida, o propósito é discutir o reajuste anual do funcionalismo com base nas condições financeira e legal para a concessão de um novo aumento salarial. 

As contas do governo foram apresentadas na última quarta-feira (19) aos representantes de 35 sindicatos de servidores públicos. Segundo os números demonstrados, o Estado não tem capacidade financeira para o pagamento do reajuste previsto para o ano quevem. A despesa foi estimada em R$ 2,1 bilhões.

PROFESSORES 

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Paraná (APP-Sindicato) se reuniu na tarde de ontem com o comando estadual da greve para avaliar o termo de acordo sugerido pelo governo estadual. No encontro, a categoria decidiu marcar uma assembleia, que será na manhã de sábado (22), para avaliar a continuação ou não da greve. O Sindicato das Classes Policiais Civis do Estado do Paraná (Sinclapol) já se manifestou e afirmou que a greve continua.

Fonte: Tribuna Hoje

Site Portal Alto Paraíso PR