Mulher abandonada ao nascer procura pela mãe biológica


Cristiane Gouveia Goulart Pereira nasceu no dia 17 de agosto de 1973 em Francisco Alves. Dois meses depois foi levada pela família paterna para Maringá, onde passou a maior parte da vida sem conhecer direito suas origens.

Ela está a procura de sua mãe biológica, que sabe apenas que se chama Lúcia de Almeida e tinha 19 anos quando deu a luz a ela no Hospital Hibrahinm Abud Neto. A mãe teria agora entre 61 e 62 anos de idade. Ela pede a ajuda dos leitores deOBemdito para encontrar o restante de sua família.

O pai de Cristiane era Nelson Parra, que faleceu há cerca de três anos e lhe falou muito pouco sobre sua mãe biológica. Ela foi criada pela avó paterna Maria Gouveia Goulart, que também é falecida. 

A tia paterna, Neuza Parra, 66 anos, é única familiar ainda viva que conhece um pouco da sua história.

Cristiane cresceu ouvindo que a mãe foi obrigada pelo avô, conhecido como seo Zé Almeida, a abandoná-la no hospital. “O que me contaram é que meu avô era um homem muito rígido e ao saber que a filha seria mãe solteira, ameaçou até mata-la. Ela foi obrigada a deixar a criança, no caso eu, no hospital”, conta.

O pai, a tia e a avó paterna resgaram a menina abandonada no hospital e a criaram com muito amor e carinho.

Tudo o que ela sabe é que a família da mãe biológica vivia em uma propriedade na Placa 9, comunidade rural de Francisco Alves. Da mãe só sabe que se chamavaLúcia de Almeida. Não sabe o nome da avó materna, mas o avô se chamava José Almeida. Eles tiveram pelo menos 16 filhos.

Cris diz que não tem mágoas. “Fico imaginando que naquela época era uma grande desonra para um pai ter uma filha mãe solteira e não culpo ninguém por nada. Só quero conhecer a minha mãe, saber mais da minha história”, desabafa.

Cristiane vive atualmente em Sarandi, é casada há 20 anos e tem dois filhos, Andressa, com 19 anos e Eduardo com 17, que também têm vontade de conhecer os parentes. “Acredito que todo mundo merece e precisa conhecer suas origens e eu estou em busca das minhas”.

Ajude

Cristiane pede a ajuda da população da região de Francisco Alves para localizar a família. Quem tiver informações pode entrar em contato através dos telefones (44) 9702-6454 ou 9811-9492.

Ela vem recebendo o apoio de pessoas através da rede social Facebook. O grupo Amigos de Francisco Alves está mobilizado e muitos amigos buscam pistas sobre o paradeiro da mãe de Cris. Mensagens também podem ser enviadas diretamente à sua página pessoal: https://www.facebook.com/cristiane.gouveiagoulart?fref=ts 

Fonte: OBemdito

Site Portal Alto Paraíso PR

,