Queda no cultivo da mandioca no PR preocupa a indústria e o produtor


O Paraná é o segundo maior produtor de mandioca do Brasil, porém, o sertor vem enfrentando uma crise. A queda na plantação causa preocupação na indústria e o medo é que possa faltar matéria-prima para o ano que vem. Por isso, muitos empresários estão aproveitando que os preços da mandioca ainda estão relativamente baixos para comprar e fazer com que a indústria trabalhe a todo vapor para garantir os estoques.

"As indústrias têm essa precaução. Para esse ano o estoque deve dar, mas quem tem condições já está se prevenindo, prevendo uma menor oferta", comenta o empresário João Eduardo Pasquini.

O preço baixo da raiz tem reflexo da safra de 2013 ,quando a tonelada no estado foi negociada a R$ 700. A área plantada naquele ano cresceu 13%. E, com uma oferta maior de mandioca no mercado, o preço da raiz começou a baixar. Em janeiro de 2014, a tonelada foi vendida a R$ 515. Em junho deste ano chegou a R$ 251 e fechou dezembro valendo R$ 219, até ser negociada em 2015, na região de Paranavaí, noroeste do Paraná, por R$ 130.

"Tenho 35 anos na área. Esses altos e baixos são uma certeza. Não desisto porque é o que sei fazer", explica o produtor Elino Heidmann.

O impacto deste cenário é vivido agora, em 2016. Dados da Associação Brasileira de Amido de Mandioca indicam que a área plantada no Paraná diminuiu. Na safra passada foi de 170 mil hectares. Nesta é de 130 mil hectares. Realidade que deixa a indústria em alerta. "Pode faltar mandioca", diz o empresário Ivo Perin. Para não correr o risco de ficar sem a matéria-prima, o ritmo de produção nas fecularias está a todo vapor. 

Fonte:G1 Paraná

Site Portal Alto Paraíso PR